Com o agravamento da pandemia no Brasil, a desigualdade social e econômica foi gravemente acentuada e os alunos do RenovaBR eleitos em 2018 seguem trabalhando para combater essa crise. Propostas legislativas de redução salarial dos parlamentares foram apresentadas no Congresso Nacional, mas algumas ainda estão em tramitação. 

Na Câmara Federal, o deputado Vinicius Poit (NOVO/SP) protocolou o PL 647/20 em coautoria com os deputados Paulo Ganime (NOVO/RJ), Lucas Gonzales (NOVO/MG) e Tiago Mitraud (NOVO/SP), todos formados pela primeira turma do RenovaBR. O projeto possibilita o saque do saldo do FGTS em caso de estado de emergência ou calamidade pública e foi acatado pelo Governo Federal, através de uma Medida Provisória (MP), que liberou o saque de uma parcela do valor. “O projeto em tela dá mais liberdade ao indivíduo e aos governos local e regional, aproximando a Administração Pública da realidade dos trabalhadores brasileiros, possibilitando que as hipóteses de saque dos recursos não sejam limitadas nos momentos que ele mais precisa.”, afirma um dos trechos do PL.  

Já na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), a deputada Marina Helou (Rede/SP) e os deputados Daniel José (NOVO/SP), Heni Ozi Cukier (NOVO/SP) e Ricardo Mellão (NOVO/SP) votaram favoravelmente ao PR 13/20, que reduz em até 30% os salários dos parlamentares e corta 40% das verbas dos gabinetes, para ajudar no combate à covid-19.

O deputado estadual, Ricardo Mellão (NOVO/SP), ainda apresentou o PL 82/21, com a coautoria dos deputados Marina Helou (Rede/SP) e Daniel José (NOVO/SP), que estabelece medidas voltadas ao ajuste fiscal e ao equilíbrio das contas públicas e dá providências correlatas, revogando o direito do Poder Executivo de aumentar impostos, através de decretos. “É um projeto pluripartidário. São todos contra o cheque em branco que foi dado para o governador aumentar alíquotas de ICMS por decreto”, afirmou o deputado em matéria da Gazeta de São Paulo.